• Massapê - CE / Créditos: Patrícia Costa
  • Massapê - CE / Créditos: Patrícia Costa

  • Massapê - CE / Créditos: Patrícia Costa

  • Paisagens do Ceará / Créditos: Raquel Pessoa
  • Acarau-CE / Créditos: Silvana Farias
  • Cruz - CE / Créditos: Silvana Farias
  • Cruz - CE / Créditos: Silvana Farias
  • Pacatuba - CE / Créditos: Silvana Farias
  • Massapê - CE / Créditos: Patrícia Costa
  • Massapê - CE / Créditos: Patrícia Costa
  • Massapê - CE / Créditos: Patrícia Costa
  • Paisagens do Ceará / Créditos: Raquel Pessoa
  • Acarau-CE / Créditos: Silvana Farias
  • Caucaia - CE / Créditos: Silvana Farias
  • Cruz - CE / Créditos: Silvana Farias
  • Pacatuba - CE / Créditos: Silvana Farias

PPGCN                          

Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais

                                              

                                                  

Histórico

>>> Histórico do Curso

 

 

      O modelo de desenvolvimento atual, que busca o crescimento econômico e a ampliação dos ganhos de capital, implica a possibilidade de degradação de inúmeros fatores ambientais quando não existem mecanismos reguladores suficientemente fortes e competentes para impedir o avanço desenfreado das atividades de extração de recursos naturais.

             Observado sob o ponto de vista da região Semiárida do Nordeste do Brasil, a extração de recursos naturais põe em evidência a necessidade de melhoria significativa em processos/bioprocessos para aproveitamento sustentável-responsável paralelamente ao aprimoramento e manutenção dos meios de monitoramento das condições ambientais.

           Pensando nisso, um grupo de professores da Universidade Estadual do Ceará (das áreas de química, geografia, biologia e física) propuseram a criação de um Núcleo de Estudos Ambientais (NEA), visando ampliar as possibilidades de qualificação de recursos humanos no gerenciamento de atividades sócio-econômico-culturais relacionadas ao meio ambiente.

            Tal proposta culminou em um Projeto de Infraestrutura submetido à FINEP, no valor de R$ 1.270.000,00 (um milhão duzentos e setenta reais), a qual foi aprovada em 2012. Neste projeto havia a previsão de aquisição de equipamentos de laboratórios de pesquisa e construção de instalações físicas para a coordenação do programa de pós-graduação (secretaria do curso, salas de aulas, sala da coordenação), e seis laboratórios de pesquisa.

            Feito isto, alguns professores propuseram a criação de um Mestrado Acadêmico em Recursos Naturais, para consolidar a ideia de monitoramente e aproveitamento dos recursos naturais com preservação ambiental e desenvolvimento regional sustentável, com o apoio do Núcleo de Estudos Ambientais.

            O Núcleo de Estudos Ambientais tem desenvolvido pesquisas, principalmente, em ecologia, produtos naturais, biorremediação, sínteses de novos materiais e polímeros, bioprocessos, acompanhamento de degradação solo, monitoramento da costa marítima e rios, estudos sistemáticos da vegetação, outras atividades relacionadas com a conservação do Semiárido.

            Como já havia interações técnico-científicas entre pesquisadores da Embrapa Agroindústria Tropical e docentes da Universidade Estadual do Ceará, para uso de recursos naturais e acompanhamento, tais ações resultaram numa ampliação da parceria com a participação da Embrapa na proposta do Mestrado Acadêmico em Recursos Naturais. Dessa forma, pesquisadores especializados em várias subáreas das ciências, construíram uma proposta multidisciplinar em várias áreas do conhecimento, fato que o distingue de outras instituições nacionais e estrangeiras.

              Assim, uma proposta para a implantação do Mestrado Acadêmico em Recursos Naturais, com as participações da Universidade Estadual do Ceará e da Embrapa Agroindústria Tropica de forma associada foi elaborada. Após ser avaliada em vários Órgãos Colegiados da Universidade (Departamento de Química, Centro de Ciências e Tecnologia, e Conselho Universitário), a proposta do Mestrado foi aprovada no dia 16 de maio de 2011, sob RESOLUÇAO número 3388/2011 – CEPE. Seguidamente, essa proposta foi submetida junto a CAPES (Área Interdisciplinar, área básica Meio Ambiente e Agrárias), no ano de 2012 a CAPES aprovou a proposta do Mestrado em Recursos Naturais (stricto sensu, 22003010026P4), com o conceito 3.

           O Mestrado em Recursos Naturais realizou a primeira chamada pública para discentes no ano de 2013, e já no ano de 2014 houve a primeira defesa de Dissertação. Em 2016, ano da primeira avaliação quadrienal, o Curso totalizou 42 (quarenta e dois) trabalhos de conclusão, titulando profissionais especializados para atuar em pesquisa e ensino na área de monitoramento e aproveitamento de recursos naturais. Nessa avaliação o Mestrado, segundo Comissão de Avaliação, preencheu os requisitos com conceitos "Muito Bom" nos quesitos 2 e 3 e "Bom" nos quesitos 1 e 4, ao qual recebeu a nota 4.

            No ano de 2017, o Colegiado do Curso discutiu aspectos que fundamentaram a solicitação para a alteração do nome do Mestrado. Segundo o Colegiado a mudança de nome do Curso iria refletir na maior consistência interna da proposta do Programa e, igualmente, melhor consonância dessa com o cenário e respectivas demandas: (1) O Mestrado em Recursos Naturais possui a área de concentração Recursos Naturais; o Colegiado entendia que seria importante um reforço de identidade, ou seja, um nome ligado as ciências naturais, uma vez que, as mesmas abarcam as disciplinas científicas componentes do Curso (biologia, química, geologia e a física). (2) Os Discentes alertaram que o nome Recursos Naturais é específico, podendo haver problemas em participações de concursos públicos para o prosseguimento na carreira. Além disso, em uma pesquisa realizada com alunos, foi verificado que os mesmos preferiam nomes de cursos mais tradicionais para cursar pós-graduação. Dessa forma, o Colegiado vem solicitar junto a CAPES a mudança de nome do Programa em RECURSOS NATURAIS para CIÊNCIAS NATURAIS. É importante salientar que não houve mudança na área de concentração, e tão pouco nas linhas de pesquisa: (a) Monitoramento de Recursos Naturais e (b) Aproveitamento de Recursos Naturais.

           Devido à demanda regional para atividades sustentáveis com o uso de recursos naturais (política de governo do Estado do Ceará), verbalizada por provocações (a) de segmentos do agronegócio (afiliados da Federação das Indústrias do Estado do Ceará), (b) de Egressos do Mestrado Acadêmico e de Mestres de áreas ligadas a recursos naturais para a implantação do Curso de Dourado, o Corpo Docente do Mestrado reuniu esforços para a apresentação desta proposta de implantação do Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais junto a CAPES.

         O Programa tem como objetos de estudo o aproveitamento e monitoramento de recursos naturais e suas condicionantes geológicas, sociais, políticas, legais, econômicas e ambientais. E também almeja a formação de recursos humanos capazes de contribuir de forma autônoma, crítica e original ao desenvolvimento científico e tecnológico; profissionais estes atentos a necessidade de preservação de recursos naturais frente ao desenvolvimento social e econômico do País.

   O Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais, organizado na forma de Mestrado e Doutorado (Acadêmico), em associação com a Embrapa Agroindústria Tropical, foi aprovado pela CAPES durante o processo de Avaliação da Propostas de Cursos Novos de Pós-graduação - APCN do ano de 2018. Em fevereiro de 2019 foi realizado  o primeiro processo seletivo por meio de Chamada Pública de Seleção sob número 86/2018 (http://uece.recursosnaturais.ppg.br/portal). E em março de 2019, o Curso de Doutorado em Ciências Naturais foi colocado efetivamente em funcionamento  com o início da sua primeira turma.

 

Editais

Portal do Egresso

Apoios

Calendário

October 2019
DSTQQSS
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031
-----
 

Universidade Estadual do Ceará - UECE
Av. Dr. Silas Munguba, 1700, Campus do Itaperi, Fortaleza-CE
CEP: 60.714.903 - Ver localização no mapa - Fone/Fax: (85) 3101-9766
Governo do Estado do Ceará.